Home / Econômia / Alemães assumem aeroporto de Fortaleza por 30 anos

Alemães assumem aeroporto de Fortaleza por 30 anos

A empresa alemã Fraport assumiu o Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza

frankfurt-airport-christoph-schmidt-dpa-picture-alliance-afpDesde o último dia 2, a gestão pela vencedora do leilão de concessão de terminais realizado em março de 2017, será feita em conjunto com a Infraero pelos próximos três meses e o contrato de concessão é de 30 anos. Os termos do contrato obrigam a companhia alemã a desenvolver a infraestrutura do local.

Segundo ela informou, estão previstas, entre outras intervenções, a expansão do terminal e o aumento das pistas de pouso e decolagem. Para este primeiro trimestre, o terminal deverá ter melhorias no ar-condicionado, iluminação, sinalização e no sinal de internet sem fio.

O terminal também já conta com um novo site com informações sobre voos e serviços. Os investimentos devem somar R$ 600 milhões e a expectativa é de que a movimentação de passageiros cresça 5% ao ano.

O início da operação do centro de conexões da Air-France/KLM, em maio, será responsável por parte do aumento do fluxo de passageiros.

O aeroporto terá cinco novos voos internacionais, ligando Fortaleza a Amsterdã, na Holanda, e a Paris, na França. Também será feito o reforço de destinos nacionais operados pela companhia aérea Gol.

Fundo árabe quer transformar Hotel Glória em edifício residencial

Radicado em Abu Dhabi, o empresário italiano Carlo Menichini tenta retomar as obras do edifício do Hotel Glória, no Rio de Janeiro. O Hotel Glória é primeiro hotel cinco estrelas do Brasil, construído em 1922 para receber chefes de Estado para a Exposição do Centenário da Independência, um ano antes do Copacabana Palace, que não ficou pronto a tempo, sendo inaugurado somente em 1923.

O projeto de restauração do Hotel Glória – hoje abandonado – foi interrompido em 2013, por causa de problemas financeiros do Grupo EBX, do empresário Eike Batista, que era o proprietário do hotel.

O fundo Árabe Mubadala de Abu Dhabi, assumiu em 2016 o Hotel Glória do grupo EBX, mas por causa da recessão econômica que atingiu o Brasil nos últimos anos, o projeto de reestruturação do Hotel Glória ainda não foi iniciado.

Carlo Menichini é conhecido por ter participado, com a sua empresa AHTV, em alguns dos mais prestigiados projetos de construção realizados nos Emirados Árabes, sendo o último, o novo e ultra moderno museu do Louvre de Abu Dhabi, um projeto com o custo final de 600 milhões de dólares.

Menichini já realizou parcerias com o fundo árabe Mubadala. A sua empresa, AHTV, juntamente com o Mubadala healthcare, colaboraram para a realização da Cleveland Clinic em Abu Dhabi 2012-2015.

O empresário explica que a situação do projeto Hotel Glória é bastante complexa, especialmente porque o projeto foi interrompido por muitos anos: “é uma pena ver um edifício tão bonito e de prestígio perdendo suas características únicas e inigualáveis. Espero que o escrito na placa colocada fora do edifício, omni temporae praestans (excelente ao longo do tempo), possa acontecer”.

O desejo de Carlo é transformar o antigo hotel em um prédio residencial, mantendo intacta a beleza e o estilo do edifício, em conformidade assim com o desejo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

No que diz respeito ao uso do edifício, a probabilidade de continuar sendo um hotel é muito pequena. De acordo com estudos realizados, um investimento em um novo Hotel Glória, atualmente, não seria lucrativo.

- Existem várias possibilidades sobre o destino do Hotel Glória, desde o uso do hotel até o uso residencial. Isso será uma decisão que a prefeitura do Rio terá que tomar – disse Carlo Menichini.

Facebook Comments

Comentar

Seu endereço de email não será publicado.Campos marcados são obrigatórios *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>