Home / Política / Gurgacz critica demora do governo em executar ações emergenciais

Gurgacz critica demora do governo em executar ações emergenciais

Gurgacz criticou também as linhas de crédito para agricultura familiar. Ele afirmou que elas foram anunciadas como a “salvação da lavoura”O senador Acir Gurgacz (PDT-RO) criticou em pronunciamento nesta quarta-feira (27) a demora do governo em executar ações anunciadas ou aprovadas de forma emergencial para conter a crise econômica gerada pelo coronavírus. 

— Se estamos vivendo uma situação de calamidade pública, as ações de ajuda não podem demorar. A verdade é que o governo não está conseguindo fazer com que os recursos liberados para combater a crise econômica, provocada pela pandemia do novo coronavírus, cheguem até quem precisa.PUBLICIDADE

O senador citou como exemplo a MP do Agro, sancionada em abril, que prometia desburocratizar o acesso do produtor rural ao crédito e ampliar em R$ 5 bilhões as receitas de financiamento para o agronegócio (MP 897/2019). Mas, segundo o senador, as facilidades prometidas foram sancionadas apenas para produtores que não estão endividados, o que tornou a medida ineficiente. 

Gurgacz criticou também as linhas de crédito para agricultura familiar. Ele afirmou que elas foram anunciadas como a “salvação da lavoura”, mas que continham as mesmas regras que sempre travaram acesso ao crédito pelo pequeno produtor rural e com taxas de juros muito altas.

O senador lembrou ainda que o Senado aprovou, também em abril, o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), com o objetivo de ajudar o fortalecimento dos pequenos negócios em todo o país. Mas, segundo Gurgacz, a medida foi sancionada na semana passada com quatro vetos que praticamente inviabilizam sua aplicação com efetividade. 

— O dinheiro não está chegando na ponta, não está chegando nos agricultores, nos produtores, nas empresas de modo geral. Numa situação de crise, não podemos criar dificuldades, normas complicadas e restrições para a tomada dessa linha de crédito. Ela tem que ser barata e de fácil acesso — explicou.

Agência Senado/Foto: Reprodução/TV Senado

Facebook Comments