Home / Política / Após ameaçar Globo, Bolsonaro diz que Lula defende censura da mídia

Após ameaçar Globo, Bolsonaro diz que Lula defende censura da mídia

Com um histórico de ataques aos veículos de imprensa, que incluem ameaça à renovação da concessão da Rede Globo e o cancelamento da assinatura da Folha no governo federal, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) acusou neste domingo (10) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de querer censurar a mídia.

Em publicação nas redes sociais, ele afirmou que, por meio dos veículos de imprensa, o PT, quando estava à frente do Palácio do Planalto, “estimulou a destruição dos valores familiares sem ouvir o povo”, que, segundo ele, “seria contra o conteúdo”.

“Agora, cinicamente, caso volte ao poder, diz querer ouvir as massas para que seja feito o controle social da mídia, ou seja, censurá-la”, acrescentou.

Na publicação, o presidente colocou um vídeo do ex-presidente durante entrevista na carceragem da Polícia Federal, concedida neste ano. Na gravação, ele diz que cometeu um erro em seus mandatos ao não ter levado mais a sério uma nova regulamentação dos meios de comunicação.

PUBLICIDADE

inRead invented by Teads

“Por que a gente é democrático para achar que a sociedade tem de interferir em tudo e, na hora de discutir determinado conteúdo, a sociedade é proibida de discutir? Nós não queremos ter ingerência. Não é fazer o conteúdo. É dizer que tal conteúdo não pode ser publicado porque ele é insensível à sociedade brasileira”, disse o petista.

Na última semana de outubro, Bolsonaro anunciou o cancelamento das assinaturas da Folha no governo federal. E, em tom de ameaça, disse que os anunciantes do jornal “devem prestar atenção”. Ele também ameaçou não renovar a concessão da TV Globo em 2022, após ter se irritado com reportagem do Jornal Nacional.

“Vocês [Globo] vão renovar a concessão em 2022. Não vou persegui-los, mas o processo vai estar limpo. Se o processo não estiver limpo, legal, não tem renovação da concessão de vocês, e de TV nenhuma. Vocês apostaram em me derrubar no primeiro ano e não conseguiram”, disse Bolsonaro.

O presidente voltou a atacar a Folha na última quinta-feira (7) em live nas redes sociais, e afirmou que deixará também de assinar a revista Carta Capital. Para ele, os dois veículos publicam “notícias desnecessárias”.

“Não é perseguindo a Folha nem perseguindo a Carta Capital. Notícias desnecessárias que têm ali. Estamos economizando dinheiro para contribuintes”, disse.

Facebook Comments