Home / Política / Associação pede agilidade em Brasília no tombamento de trechos da EFMM

Associação pede agilidade em Brasília no tombamento de trechos da EFMM

Associação dos Ferroviários de Porto Velho encaminhou documento ao escritório regional do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), solicitando o tombamento da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (EFMM), no percurso após os 8 quilômetros já tombados, até os 366 quilômetros que dá acesso ao final da ferrovia, no antigo prédio da estação ferroviária de Guajará-Mirim retorna ao governo federal.

A ferrovia tem um forte valor histórico, pois garantiu que o Brasil tivesse a posse da fronteira com a Bolívia permitindo a colonização das extensões do território amazônico, iniciando na capital, Porto Velho, fundada em 4 de julho de 1907, se estendendo com o ciclo da borracha até a cidade de Guajará-Mirim (RO).

“Os processos já estão em tramitação e muitas coisas vão mudar no complexo ferroviário, inclusive as casas, no fundo do bairro Cai N’água. Existe uma ação que pede a posse dada aos moradores e o governo do Estado já fez o levantamento socioeconômico das pessoas”, afirmou o vice-presidente da associação, George Telles de Menezes.

George Telles também fez comentários sobre os andamento das demandas que tramita no ministério da infraestrutura em brasília que e recurso federal e colocar a EFMM no plano nacional de recuperação de ferrovias do governo federal e também e protocolou um documento no DNIT nacional para que seja feito o georreferenciamento do complexo ferroviário com drone ate Guajará-Mirim esta vindo a qualquer momento uma equipe paras tratativas e a luta continua afirma carioca.

Facebook Comments

Comentar

Seu endereço de email não será publicado.