Primeira-dama de Rondônia é alvo de inquérito do MP por crime de peculato



Luana Nunes está sendo acusada de supostamente ter desviado R$ 345 mil para a Associação Acreditar, que pertence a Mezaque Rocha do Couto, ex-assessor do deputado estadual Marcelo Cruz

O Ministério Público abriu inquérito para investigar a prática de peculato por parte da Primeira-dama de Rondônia, Luana Nunes de Oliveira Santos (Luana Rocha) esposa do governador Marcos Rocha (sem partido). Peculato é quando o funcionário público apropria-se de dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel, público ou particular, de que tem a posse em razão do cargo, ou desviá-lo, em proveito próprio ou alheio.

Luana está sendo acusada de supostamente ter desviado R$ 345 mil para a Associação Acreditar, que pertence a Mezaque Rocha do Couto, ex-assessor do deputado estadual Marcelo Cruz.

A Acreditar teria feito um “Termo de Fomento” com a Secretaria de Estado de Ação Social, em agosto de 2019, com validade de um ano, no valor de R$ 345 mil, que equivale a R$ 28.750/mês para “aquisição de material gráfico, serviço de alimentação, material de consumo e serviço de aluguel, para promover os trabalhos realizados pela Associação Acreditar”.

Ainda segundo o Ministério Público de Rondônia, “vários peculatos foram consumados, inclusive mediante prática de falsidade ideológicas. Objetivando a obtenção de vantagens indevidas, foram praticados também os crimes de concussão e corrupção passiva“, além de coação de testemunhas.

Na denúncia, o Ministério Público pede o afastamento do deputado estadual Marcelo Cruz por 120 dias. Por telefone, o deputado afirmou ao BLOG que “acredita na justiça de Deus e na de Rondônia, e tem certeza que tudo será esclarecido, pois quem não deve, não tem nada a temer”. MP denunciou a Primeira dama por crime de peculato

Via Alan Alex / PainelPolítico

Postar um comentário

0 Comentários