Entenda como as bactérias ajudam no combate à Covid-19



As bactérias podem servir como forma de proteção contra o coronavírus, uma vez que diminui o risco do indivíduo contrair infecções e caso seja contaminado, o corpo pode reagir melhor.

As bactérias agem contra a infecção pelo coronavírusDe acordo com o Dr. Alessandro Silveira, microbiologista a Covid-19 é uma doença infecciosa causada pelo vírus da família corona, que pode ser combatida por outro microrganismo presente em grande quantidade no organismo, como as bactérias. Principalmente as que ficam no intestino, pois estabelecem um papel importante no fortalecimento do sistema imune.

“São organismos simples formados por proteínas e material genético (DNA ou RNA), que podem ou não estar enrolados por uma membrana externa, chamada envelope. “Os vírus precisam obrigatoriamente infectar as células, pois não conseguem sobreviver por muito tempo e se multiplicar fora delas”, explica.

Segundo o especialista, os vírus infectam as células e se aproveitam das proteínas que elas possuem para a entrada de substâncias fundamentais, que são os nutrientes e hormônios. “Os microrganismos possuem “chaves” que se ligam apenas àquelas fechaduras com encaixe perfeito. Eles invadem à célula e obriga ela a produzir novas partículas virais que infectam às demais”.

O Dr. Alessandro Silveira ressalta ainda que no caso da Covid-19, a doença atinge as áreas respiratórias superior como mucosa oral, nasal e garganta. Devido à esse motivos provoca uma facilidade de infecção nessas regiões e também alterações no intestino (diarreia e dor abdominal).

Algumas práticas devem ser adotadas como estratégia de defesa contra o coronavírus. Uma delas é usar máscaras, lavar as mãos e se manter em isolamento social. Além disso, assim que sentir os sintomas é necessário realizar um diagnóstico precoce para facilitar o atendimento.

“No caso da Covid-19, já que ainda não existe nenhum medicamento eficaz para combater a doença. O indicado é fazer repouso, alimentação leve e hidratação. Uma alternativa também é o fortalecimento do sistema imune. “Nesse ponto entram em ação o intestino e as bactérias boas presentes no órgão”.

De acordo com Silveira, a ‘microbiota’ age contra a infecção pelo coronavírus em quatro frentes. “A primeira delas é a imunidade natural, que protege nosso organismo inicialmente contra infecções. Dessa maneira, as bactérias dificultam a ligação entre o vírus e as células. A segunda é a imunidade específica. Ela produz anticorpos fazendo com que pelo menos a curto prazo fiquemos protegidos contra novas infecções”.

“Já a terceira, é a atividade antiviral, quando as bactérias de defesa intestinal produzem substâncias responsáveis pela destruição de potenciais patógenos. A quarta e última frente é a supressão de receptores. Nela, as bactérias conseguem retirar a “fechadura” da célula e fazer com que o vírus, mesmo com a chave certa fique para o lado de fora e seja eliminado pelo sistema imune”, finaliza o microbiologista.

Vale destacar, que algumas ações auxiliarão no desenvolvimento das bactérias boas que ficam no intestino, como alimentação saudável e balanceada, pouca ingestão de bebidas alcóolicas, beber cerca de 2 litros de água por dia, sono regulado, prática de exercícios físicos, evitar o estresse e o uso de anti-inflamatórios e antibióticos sem indicação médica.

Consultoria: Dr. Alessandro Silveira, microbiologista


© Shutterstock

Saúdeemdia

Postar um comentário

0 Comentários