Fábrica estraga 15 milhões de doses de vacina contra Covid-19 nos EUA


Uma confusão feita por trabalhadores de uma fábrica em Baltimore, nos Estados Unidos, inutilizou cerca de 15 milhões de doses de vacina contra o coronavírus. De acordo com informações do NY Times, os funcionários acidentalmente misturaram ingredientes do imunizante da Johnson & Johnson e da AstraZeneca/Oxford, forçando os reguladores a atrasar a autorização das linhas de produção.

A fábrica é administrada pela Emergent BioSolutions, um parceiro na produção. Autoridades federais norte-americanas confirmaram que o engano foi causado por erro humano. A Food And Drug Administration (FDA), agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, investiga o caso.

A falha acabou atrasando futuros embarques do imunizante da Johnson & Johnson nos EUA. Embora não afete os que já estão sendo entregues e aplicadas pelo país, o fato impactará a distribuição de outras 24 milhões de doses, que deveriam estar disponíveis no mês que vem.


O lote estragado foi colocado em quarentena e, até o momento, não há indícios de que a produção das doses da AstraZeneca tenha sido contaminada. O imunizante ainda não obteve autorização da FDA para uso de emergencial.


Em um comunicado divulgado na quarta-feira (31/3), a Johnson & Johnson afirmou que espera que as medidas tomadas com relação à Emergent permitam a entrega de 24 milhões de doses até o final de abril.
Meta

A vacina Johnson & Johnson, de aplicação única, era a aposta do governo norte-americano para acelerar o programa nacional de imunização. As autoridades federais ainda esperam ter doses suficientes dos três imunizantes aprovados nos EUA para bater a meta do presidente Biden: fornecer vacina para todos os adultos até o final de maio.

Enquanto isso, a Pfizer está enviando as doses antes do previsto, e a Moderna está prestes a obter a aprovação para entregar frascos de vacina embalados com até 15 ampolas em vez de 10, reforçando ainda mais o estoque do país.



Metrópoles

Postar um comentário

0 Comentários