Público a partir de 30 anos vai ser vacinado contra a Covid em Porto Velho, diz Hildon após comprar 400 mil doses da AstraZeneca

 

Moradores de Porto Velho com mais de 30 anos já devem começar a ser imunizados contra o coronavírus, a partir de meados de abril. É o que afirmou o prefeito Hildon Chaves nesta sexta-feira (12), após anunciar a compra de 400 mil doses da vacina AstraZeneca.


Segundo o chefe do poder executivo, a compra desses imunizantes vai possibilitar a vacinação de outros grupos e faixa-etárias. Até então, as doses entregues pelo Ministério da Saúde tinham sido aplicadas apenas para idosos e profissionais da saúde.



Ao anunciar a compra de 400 mil doses da vacina AstraZeneca, Hildon diz que moradores entre 30 e 75 anos devem entrar na campanha de vacinação municipal (assim que os lotes foram entregues pelo laboratório).


O chefe do executivo ressaltou que quanto antes for imunizado o maior número de pessoas, mais vidas serão salvas.




Prefeito Hildon Chaves anuncia compra da vacina contra a Covid-19 — Foto: Reprodução/Facebook




"Só essas 400 mil doses não vão resolver o problema de Rondônia. Nós estamos trabalhando pra resolver o problema da capital, por via indireta, Naturalmente, a medida que os leitos deixarem de ser ocupados na capital, vamos ajudando o restante do estado também, de forma indireta", declarou.


Não foi divulgado mais detalhes sobre como vai ser essa vacinação para o público entre 30 e 75 anos, mas o município afirma já estar trabalhando na estrutura, pois as 400 mil doses devem chegar entre 25 e 30 dias.


Shoppings, escolas, pátio da prefeitura e postos devem ser alguns dos locais a serem usados como locais de vacinação.


Segundo Hildon Chaves, caso seja necessário, haverá vacinação inclusive durante a noite em Porto Velho.


Vacina Oxford


O nome da vacina é ChAdOx1. Ela utiliza uma tecnologia conhecida como vetor viral recombinante (veja abaixo como ela funciona no corpo após a aplicação).




Infográfico mostra como funciona uma vacina de vetor viral — Foto: Arte G1


Não foram registrados efeitos adversos graves na vacina Oxford/AstraZeneca. Os efeitos mais comuns foram dor no local da injeção, febre e dor de cabeça de intensidade leve ou moderada.

ENTENDA: Os quatro tipos de vacina contra Covid-19
Oxford e CoronaVac: veja raio X das vacinas aprovadas


Nesta sexta-feira, a Anvisa concedeu registro definitivo à vacina da AstraZeneca/Oxford contra a Covid-19, com etapa de fabricação no Brasil.

Postar um comentário

0 Comentários