'Não era chacota, fiz de coração', diz Ivo Cassol após vídeo de solda elétrica contra a Covid viralizar

 

 
Ex-governador de Rondônia usou as redes sociais para se manifestar sobre o vídeo em que aparece manuseando uma solda elétrica como suposto tratamento para o coronavírus, mesmo sem respaldo científico.
O ex-governador e ex-senador Ivo Cassol, de Rondônia, usou as redes sociais na noite de quinta-feira (25) para se manifestar sobre o vídeo em que aparece manuseando uma solda elétrica como suposto tratamento para o coronavírus através da claridade/luz emitida pelo aparelho, mesmo sem comprovação científica sobre o procedimento. O caso ganhou repercussão nacional após as imagens viralizarem na internet.

Segundo Cassol, sua intenção, em nenhum momento, foi brincar com a situação do amigo infectado pela Covid-19 e sim fazer um experimento para ajudá-lo no tratamento.

"Eu fiz de coração. Em nenhum momento eu fiz para chacota. Eu sei que a nível nacional muitos levaram para gozação, mas não é, gente. A coisa é séria. Tenho muitos amigos e muitas amigas morrendo de coronavírus e ao mesmo tempo os nossos hospitais lotados. O que nós pudermos fazer para melhorar, com certeza vai ser bem para o próximo. E eu tô fazendo, porque a próxima vítima pode ser eu mesmo ou a minha família, então portanto as pessoas que estão chorando hoje, para buscar uma opção. Mesmo que pareça impossível, para Deus não é", disse em um vídeo postado na sua página oficial.

Nas imagens que viralizaram na terça-feira (23), Ivo Cassol aparece segurando uma máquina de solda e, ao lado dele, um amigo dele (contaminado com coronavírus) ficou perto do aparelho da solda para receber a claridade/luz emitida.

Em entrevista o ex-governador disse acreditar que a claridade da solda elétrica não cura o vírus, mas ajuda no tratamento.

Aqueles que estão falando que a solda cura, não, a solda não cura. Primeiro que eu não sou médico, não sou cientista, mas eu quero deixar claro que a solda, no meu ponto de vista, aquela claridade dela pode, de repente, transmitir vitamina D [ao corpo] ou a claridade em si, e ela de repente mata o coronavírus. Portanto vai depender dos pesquisadores daí pra frente", afirmou.
G1

Postar um comentário

0 Comentários