Anvisa suspende prazo de análise de uso emergencial da Sputnik V



A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou neste sábado (27/3) que o prazo para analisar o pedido de uso emergencial da vacina russa Sputnik V foi suspenso.


O pedido havia sido feito na quinta-feira (25/3) pela União Química, para o uso de 10 milhões de doses adquiridas pelo Ministério da Saúde no início do mês.

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, a medida ocorre em razão da falta de dados exigidos para avaliação, como especificações de qualidade e informações do tempo médico de acompanhamento dos pacientes que fizeram parte dos estudos clínicos.

Dados do painel da Anvisa mostram que 18,6% da documentação necessária para obter registro emergencial não foram apresentados. Além disso, outros 18,2% estão pendentes de complementação.


Apesar da suspensão, a análise de 62% dos documentos continua. O prazo de sete dias voltará a correr quando o restante dos documentos forem enviados.

Sputnik V
A vacina russa Sputnik V foi desenvolvida pelo Instituto Gamaleya e autorizada para uso emergencial pelo governo da Rússia antes mesmo do fim dos estudos clínicos.

De acordo com dados publicados na revista científica The Lancet, o imunizante tem eficácia global de 91,6% contra casos sintomáticos de Covid-19.

O imunizante deve ser aplicado em duas doses, em um intervalo de 21 dias.

Em 12 de março, o Ministério da Saúde assinou um contrato para a compra de 10 milhões de doses da Sputnik V.

Pelo cronograma do governo, a previsão é que 400 mil doses cheguem ao país até o final de abril; outras 2 milhões no fim de maio; e mais 7,6 milhões em junho.

Além das doses adquiridas pelo governo, o Consórcio de Governadores do Nordeste fez a compra de 37 milhões de doses, mas o grupo definiu que a quantidade integrará o Plano Nacional de Imunização do governo federal.



Metrópoles

Postar um comentário

0 Comentários